Pulp Fiction

- “Não odeia isso? O quê? Os silêncios que incomodam. Por que temos que falar de idiotices para nos sentirmos bem? Não sei. É uma boa pergunta. É assim que sabe que encontrou alguém especial. Quando pode calar a boca um minuto e sentir-se à vontade em silêncio.”
Quentin Tarantino

Seqüência é longa, mas do detalhe do milk shake até a caminhada ao banheiro há um quê de genial em cada detalhe, a câmera pegando os atores em perfil, o jogo de plano contra-plano, os cortes entre um Vincent incomodado e Mia com olhar penetrante, a música compassada ao ritmo do diálogo, o ambiente anos 50, o tom de voz, o uso do canudo, tudo.

  • Os lábios vermelhos de Uma Thurman ao microfone,
  • O diálogo pré-assalto de Tim Roth,
  • Dois gangsteres com paletós ensangüentados. Zed está morto.

-"You always say that. That same thing every time, "I'm through, never again, too dangerous.

Pop e Inspiração. me deu vontade de ver de novo e pausar cada detalhe explicito .

E o melhor:

Nenhum comentário: