Hieronymous Bosch

O brilho da arte de Bosch.. no declínio da Idade Média

"A glória a que aspiro é a de ter vivido tranquilo [...] sendo a filosofia incapaz de mostrar o caminho que conduz ao repouso da alma que a todos convém, que cada qual por seu lado o procure."
Michel Eyquem de Montaige - Ensaios


Hieronymous Bosch
Triptico:
The Temptation of St Anthony, c. 1500
Painel da esquerda - Vôo e Fracasso de Santo António
Painel central - Tentação de Santo António

Painel da direita - Santo António em Meditação
Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa

Paixão eterna pelos demônios, pelo castigo físico e pela tentação da carne

Os heróis espirituais de Bosch eram os santos que suportavam a tortura física e psicológica e contudo permaneciam firmes. Entre estes, o seu favorito era Santo Antônio, o tema deste tríptico.

Os trípticos de Bosch mostram um mundo de sonhos e pesadelos e dão uma ideia das fobias dos homens da Idade Média.

As suas telas, povoadas de demônios, animais e pássaros bizarros, figuras meio homem meio bicho, cujas formas parecem brilhar e transformar-se diante dos nossos olhos, revelam o lado mórbido das pestes, das guerras e do sobrenatural.

Do realismo das criaturas imaginárias releva a sua convicção absoluta de que elas existiam mesmo. As imagens dos pesadelos têm um poder surrealista fantástico e inexplicável!

Bosch era considerado um surrealista do século XV, apenas um inventor de monstros e quimeras e as suas pinturas como fantasias milagrosas e estranhas, causando uma impressão de horror em lugar de agradável.

A sua intenção não era atingir o consciente do observador e sim transmitir-lhe uma certa verdade moral e espiritual, daí os seus quadros possuirem um significado preciso e premeditado.

Nenhum comentário: