O Pintinho Bailarino


A ninhada da galinha Sofia tinha doze ovos. Ela estava muito contente aguardando o nascimento de seus filhotes. Numa manhã fria, os pintinhos começaram a quebrar a casca dos ovos, olhando para fora muito curiosos. Muito feliz, Sofia acariciava os filhotes e os colocava debaixo das asas, para esquentá-los.

Mas, de repente, Sofia percebeu que um ovo não havia sido quebrado. Esse pintinho preferiu ficar lá dentro: dobrou as pernas e resolveu tirar um cochilo. Ela começou a ficar nervosa e resolveu chamar o galo Mendonça, pai da ninhada. De tão preocupado, Mendonça até cantou fora da hora...




O alvoroço e a barulheira chamaram a atenção de Beto e Sílvia, os
donos do galinheiro. Ficaram impressionados quando viram os 11 pintinhos e o último ovo, que se mexia para um lado e para o outro quando Mendonça cantava.



- Ele dança balé! - disse Sílvia.

Mendonça cantou de novo e o ovo se mexeu mais uma vez.

- Que legal! - comentou Beto.

Na verdade, o pintinho se acordava quando ouvia o canto de Mendonça. No começo, ele ficou aborrecido mas depois começou a achar o som até agradável. Achava uma melodia carinhosa e balançava o rabinho quando ouvia. Só que as crianças acreditavam de verdade que ele estava dançando. E, para eles, o pintinho estava tão contente ali dentro do ovo que aprendeu a dançar. Abria e fechava o bico, saltava, fazia ziguezague, inventava passinhos...


Sílvia e Beto resolveram chamar sua mãe e os coleguinhas da rua para ver o pintinho bailarino. Mendonça cantou, o ovo se mexeu, mas ninguém, fora Sílvia e Beto, viu o pintinho dançar.

- Vocês estão inventando coisas!
- Cadê o dançarino?
- Não estou vendo nada!

Todos reclamavam. E Sílvia insistia:

- É claro que o pintinho está dançando.

Ele ouvia pianos e violinos quando Mendonça cantava. Ficava na ponta dos pés, dobrava os joelhos e dava um pulinho. Agitava uma asa, balançava a outra. Mexia os pés para frente e para trás.

No outro dia, o pintinho dançou tanto que o ovo acabou rolando dentro do galinheiro, bateu numa pedra e quebrou-se. Ele olhou pelo buraco, piou um "oi" para todo mundo e sacudiu o resto da casca. Todos festejaram quando viram o pintinho saltitando no quintal. Seus irmãozinhos acharam bonito e também começaram a pular, seguindo Sofia pelo galinheiro. Toda a ninhada seguia a mãe, andando de um jeitinho que só eles sabem, parecendo bailarinos de verdade.


Entrou pela perna do pato, saiu pela perna do pinto. Quem souber conte até quatro, quem quiser conte até cinco. A versão que apresentamos aqui foi resumida e adaptada para a Internet, sob consentimento do autor.

O Pintinho Bailarino

» Escute a historinha no seu computador
(arquivo: mp3 / tamanho: 2MB)



Obs.:
A versão que apresentamos aqui foi resumida
e adaptada para a Internet, sob consentimento do autor.

Ficha técnica

A história "O Pintinho Bailarino", de Cícero Belmar, foi resumida e adaptada para a Internet, sob o consentimento do autor.

Edição de texto: Fabíola Blah
Locução: Gustavo Belarmino e Manuela Allain
Técnica de som: Wando´s

Gravado nos estúdios da Rádio Jornal.

Um comentário:

Anônimo disse...

Pô,mamy,me adiciona no msn!Quero te mostrar meu filhote-seu neto...hahahahahahahaha
bjo
Camis Lee
camislee@hotmail.com