A beleza da morte


A adolescente carioca Mariana Silva Alves, de 13 anos de idade, foi uma das ganhadoras do Concurso "Cartaz da Paz" promovido pela Fundação Internacional de Lions Clubes em 2000, com o cartaz acima.
Mariana resume seu trabalho com as seguintes palavras: "Gerai e semeai. Evoluir, mudar. No meu cartaz, eu demonstrei isso por meio da figura da mulher grávida. Gerando um novo futuro para o mundo. A vida é a essência de tudo que existe e o que pode vir a existir".

Duas pessoas se uniram, se amaram e geraram uma vida...

Vir ao mundo não é uma opção que fazemos, essa vida, escolha de quem nos gerou,com o tempo passa a ser opção de quem a vive, mas não foi uma opção nossa no INÍCIO.

Nenhum de nós é igual nos caminhos dessa vida, nem a vida é a mesma para todos. Como individuos as desigualdades nos acompanham do ínicio dessa vida, sejam elas naturais ou físicas, até o fim dessa mesma vida. Sãos diferenças de idade, de saúde, de forças do corpo e de qualidades do espírito, ou da alma.

Também passamos pelas desigualdades morais que são convencionadas pelos "homens".Celebrando a vida, a perfeição da natureza que só o ser humano teve habilidade para banalizar, eu faço um tributo a morte que permanece intacta e onde somos todos iguais e da qual nenhum de nós está livre.


Sendo melhores, piores, mais inteligentes, limitados, "merdas", "finos", cultos, simplórios,
convencionais, rebeldes, etc...No momento chamado de DERRADEIRO, a vida toma as rédeas desse puteiro e entrega-nos a , que nos acompanha desde o dia em que um único ESPERTOzóide foi o verdadeiro vencedor...

O que virá depois é mierda, com ou sem educação é claro!

Nenhum comentário: