Tratamento de Primeiro Mundo...

"Portugal prende, humilha e dá ultimato a brasileiros. Governo Lula nem soube...

Todos os brasileiros detidos hoje na cidade de Tomar, em Portugal, já foram liberados. Eles foram seqüestrados em seus locais de trabalho e mantidos incomunicáveis durante mais de doze horas. Não tiveram direito a telefonar aos familiares ou advogados, não foram alimentados e nem puderam sequer se sentar. Receberam um documento dando prazo de 20 dias para que regularizem a situação ou deixem o país. Foram detidos 23 trabalhadores de um frigorífico e 40 em outro. Eles prestam serviço como desossadores em frigoríficos, função que não atrai portugueses. As fábricas acabam contratando mão-de-obra brasileira, por intermédio de uma empresa terceirizada, o que é interpretado como uma irregularidade pelas autoridades portuguesas. Mas os brasileiros com quem a coluna conversou garantem serem registrados como autônomos e fornecem aos frigoríficos recibos, sobre os quais recolhem os impostos devidos ao fim do ano. O Ministério das Relações Exteriores, a embaixada e até o consulado-geral do Brasil em Lisboa foram informados do fato pela coluna."

"Brasileiros relatam humilhações em Portugal

Benedito Lopes da Silva, 33 anos, Fabrício da Silva, 25, Lindes Silva, 39, e Marcos Silva do Nascimento não têm em comum apenas o sobrenome, o mesmo de tantos outros brasileiros que buscam melhorar a própria condição de vida com base no trabalho honesto e bem feito. São todos desossadores em frigoríficos portugueses e passaram pelas mesmas humilhações ao serem detidos ontem, na cidade de Tomar, a 100 km da capital de Portugal, Lisboa. Eles foram liberados à noite, após despacho do Serviço Estrangeiro de Fronteira, órgão do Ministério da Administração Interna, dizendo que, “embora em situação irregular em território nacional”, entendeu “haver lugar” para a aplicação de um decreto que dá ao estrangeiro um prazo de 20 dias para deixar o país, sob pena de expulsão se não o fizer voluntariamente. Os brasileiros contam que policiais, acompanhados de cães de guarda, cercaram as fábricas e fecharam todas as saídas por volta das 10h (14h, em Brasília). Eles foram levados para o refeitório, onde a polícia avisou que verificaria a documentação dos trabalhadores. Eles relatam que não puderam pegar os documentos nos armários, e foram encaminhados à delegacia, onde teriam direito a um telefonema. Mas lá chegando, foram impedidos de telefonar a familiares ou advogado. Ficaram detidos até às 8h da noite (horário de Lisboa), espremidos em uma sala sem cadeiras para todos, sem refeição, e, a princípio, sem direito de irem ao banheiro – o que foi liberado posteriormente, sob severa vigilância. Lindes da Silva conta que se sentiu “tratado como cachorro, e com muita vergonha”. Todas as fotografias e filmagens feitas de celulares foram apagadas pelos policiais."

Fonte: Claudio Humberto.

Quem sabe os brasileiros estavam ameaçando a policia portuguesa empunhando
Pontas de Agulha, Chuletas e Picanhas e por esse motivo foram submetidos a essa situação de terror e tendo seus direitos HUMANOS desrespeitados.

O Lula não ter tomado conhecimento do fato não é novidade, todos sabemos que ele não "vê, fala e ouve" absolutamente nada em tempo real. A ficha, para as questões nacionais, costuma cair com um certo atraso.

De qualquer forma, estivessem ou não ilegais no país, o que conta aqui é o tratamento dispensado. E o que nos conforta é que nunca dispensamos esse tipo de tratamento aos IRMÃOS PORTUGUESES, amém!

Nenhum comentário: