Como era a vida mil anos atrás


Homens admiram o Cometa de Halley, que passou por aqui no fim do primeiro milênio
Num planeta sem Internet nem televisão, a vida no ano 1000 transcorria lentamente. A maioria dos 280 milhões de habitantes do mundo nascia, vivia e morria na mesma aldeia. Cada povo tinha sua cultura, e elas pouco se misturavam. Um bom retrato da vida naquele tempo são os desenhos da Tapeçaria Bayeux (reproduzidos aqui). Eles foram feitos em torno de 1080 e narram a invasão normanda da Inglaterra. A passagem do ano de 999 para o 1000 não foi sequer comemorada por todos. Os muçulmanos entrariam em 391, e os chineses no ano gengzi, dito da prosperidade.

Córdoba

Era a Nova York daqueles tempos. Tinha 1600 mesquitas, 900 banhos públicos, 70 bibliotecas e 80 mil casas comerciais. A Grande Mesquita, concluída em 994, ainda é a maior atração da cidade andaluz, na Espanha.

O homem do ano

O papa Silvestre II exerceu curto reinado, de 999 a 1003, mas deixou marcas na Igreja e na sociedade européia graças a seus ideais humanistas e seu respeito à ciência. Lutou contra o nepotismo e a corrupção no clero, mas nem sempre foi compreendido. Alguns o acusavam de feiticeiro e de ter feito pacto com o diabo. Foi o inventor do relógio de pêndulo.

Sexo

A Igreja era obcecada pelo tema e só o aprovava dentro do casamento (como hoje). Se a mulher estivesse grávida ou menstruada, nem pensar. Uma lei inglesa punia com multa de 5 xelins quem acariciasse sem permissão os seios de uma mulher. A castidade era reverenciada, mas pouco praticada. Na China, o homossexualismo era moda. Entre os povos bizantinos era comum os homens serem castrados.

Comida

Os banquetes eram o momento supremo da arte de comer, como se vê na imagem da Tapeçaria Bayeux (ao lado). As carnes, de preferência de veado e vaca, eram as iguarias mais apreciadas. Aves eram alimentos nobres, e as frutas desaconselhadas para bebês e doentes. Cada convidado devia levar a própria faca, único utensílio auxiliar das mãos na hora da mesa. Garfos e colheres não eram utilizados.

Saúde

O desconhecimento de hábitos de higiene encurtava a vida de nossos antepassados. Até o primeiro ano de vida, uma entre quatro crianças morria de infecções variadas. Os médicos usavam as trepanações - perfuração do crânio com broca de carpinteiro - para libertar as pessoas do demônio. A ilustração ao lado, A Extração da Pedra da Loucura, é do pintor Hieronymus Bosch (1450-1516).

Transporte

As viagens eram raras, a não ser para guerreiros e comerciantes, que se deslocavam em caravanas de camelos ou em frotas marítimas. Os vikings teriam chegado a Newfoundland (atualmente Canadá) a bordo de barcos de madeira. Árabes e chineses dominavam o Oceano Índico.




Reinos
Reino viking Império Song
Domínio Romano Reinos indianos
Terra dos magiares Califados islâmicos
Império Bizantino Rússia kievana

Fotos: reproduções

Fonte: O Ano 1000 - A Vida no Final
do Primeiro Milênio, de Robert Lacey
e Danny Danziger, Editora Campus

Um comentário:

FOTÓGRAFO PROFISSIONAL disse...

Talvez um mundo melhor!!!!!!!!!