Minhas Bruxas Favoritas

A primeira Bruxa de todas é a Rainha malvada de Branca de Neve. Invejosa da beleza de Branca de Neve, a rainha resolve matar a pobre princesa. Primeiro manda que o caçador a mate na floresta e coloque seu coração dentro de uma caixa. Como o caçador não tem coragem de concluir o serviço, acaba por revelar os planos da madrasta-rainha-bruxa-má e manda que a lindinha fuja para a floresta...

O resto da história todo mundo conhece e por ser longa vamos resumir com a morte da madrasta-rainha-bruxa-má, o beijo do príncipe-galã e um final feliz até para os anões que não vão mais precisar agüentar aquela mulher mandando, fazendo e acontecendo dentro de casa e sem usufruírem a melhor parte da relação.

Fato: a princesa, uma verdadeira safada, não agüentava mais aquela vida dentro do palácio e morria de inveja da madrasta que, aos 40 anos, não tinha nenhuma celulite e mantinha um caso fogoso com o caçador-musculoso-parrudo estilo Pasquin. Ela queria era dar o fora dali.

Contam as más línguas, incluindo-se as boas também, que Branquinha assediou o caçador-musculoso-parrudo de todo jeito e como não consegui nada, pois ele era muito feliz com a madrasta cutis-de-pêssego, onde ele tinha do bom e do melhor e só precisava manter os músculos tonificados e devidamente “rijos” (sem contar o porre que seria aturar uma fedelha mimada). Bem, ela se mandou pra floresta onde sabia viverem 7 anões .


A nossa segunda bruxa muito malvada
é Malévola da Bela Adormecida. Ao menos essa era apenas uma bruxa, sem acumular mais funções. Por não trazer bons pensamentos e ser sempre ruim, lançou uma maldição na princesinha-nenêin.

As fadas madrinhas amenizaram a coisa, e princesa ao conferir o que era o tal fuso da roca caiu num sono profundo, o príncipe cumpriu sua parte dando um fim na bruxa despeitada, beijou a princesa e viveram felizes para sempre.

Fato: a bruxa ficou tiririca por não ter sido convidada para o batizado da princesa , rogou praga e saiu batendo as tamancas. E foi só. A princesa-nenêin viveu na floresta como Rosa, a camponesa. Levou a vida no bem bom pois passava o dia colhendo flores, frutas e conversando com os animaizinhos selvagens em seus longos passeios durante os 16 aninhos de vida fútil e frugal. Como nem tudo eram flores para Rosa, esta teve uma crise de dupla identidade ao descobrir que era princesa e se chamava Aurora.

Quem se deu bem foi o príncipe que garantiu a diversão para o resto de seus dias , acordando cada dia com uma mulher diferente porque imaginem o trauma da Rosa-Aurora depois de descobrir toda a história da sua vida e avaliar a boa farra que perdeu por não freqüentar a corte durante anos, uma vida inteira desperdiçada.


A nossa terceira bruxa não é uma na acepção da palavra, é que o preconceito pegou e toda mulher malvadona era chamada de bruxa, trata -se da madrasta da Cinderela. Se casou com o homem por dinheiro e quando ele morreu, começou a tratar Cinderela feito capacho. Um verdadeiro espírito de porco. Cinderela sim teve dias, além da madrasta teve de agüentar as filhas dela.

Fato:O pai de Cindy que queria uma mulher pra cuidar da casa e da filha, passava os dias bebendo e jogando. Acabou endividado e morreu de cirrose. A madrasta-sem-nome, teve que fazer das tripas coração pra continuar vivendo e tentar casar as filhas que estavam fadadas a ficarem encalhadas e pobres. Apesar dos maus tratos, de trabalhar feito um burro de carga, Cindy conservou beleza e delicadeza suficientes para conquistar seu príncipe.

Ah! E calçar o sapatinho de cristal. O trabalho pesado passou por ela sem deixar marcas. A Madrasta e as filhas foram esfregar, lavar, passar e cozinhar nos porões do castelo. E a Cindy mantém um caso com o valete que ficou encarregado de levar o sapatinho para ela experimentar, dizem que em agradecimento por ele ter sido firme e não arredar pé até que todas na casa lhe dessem o pé e sabe-se lá mais o quê.

- E o príncipe?

Ah! Ele vive bem, faz vista grossa pra algumas coisas e parece que mantém um caso amoroso com as duas irmãs postiças de Cindy. Mas cá entre nós ele bem merece porque aturar sogra é dose e se ela vem com o pacote de duas filhas encalhadas mas muito fogosas e loucas por uma festa, quem iria condená-lo?


A bruxa do mar Ursúla, que ocupa o quarto lugar, mulher de personalidade forte e curvas generosas, queria ser rainha do mar e Ariel, filha mais nova (do totalde 7) do rei Tritão queria deixar a vida do mar e ganhar pernas para seguir sua vida. Úrsula que não era boba nem nada aceitou realizar o desejo de Ariel.

Fato: Na minha opinião o trato entre as duas foi muito claro. Ariel cansada de ser apenas um rabo bonito, queria pernas pois andava cheia daquela vida no mar e as brincadeirinhas com os meninos-sereios acabavam sempre nas preliminares. Ela queria era arrumar um macho com direito a pernas, pés e algo mais, mesmo que as pernas fossem as primeiras a serem colocadas de lado.. Ursúla tratou de providenciar para que os desejos de princesa-sereia fossem realizados e claro tratar de arrumar a vida e colocar alguma ordem naquelas orgias marítimas.

Nenhum comentário: