Outros Quintais - Palavras que Preencheram

As palavras que preencheram...
Difícil, foram tantas e tão sentidas. Tudo bem que nunca chegamos a senti-las na mesma
intensidade que o autor as sentiu, mas podemos ter uma idéia do “estrago” que elas fazem no coração de quem as escreveu apenas medindo o aperto que sentimos quando lemos essas mesmas palavras.


Eu me senti devastada quando li o poema ...

Intrigas

Se te fores e me deixares aqui sentado nas escadas dos nossos encontros,
Tão húmidas de lágrimas do orvalho da noite,
Perdes-me e tudo está acabado entre nós…
Perco a sensibilidade das mãos que te escrevem,
Dos olhos que te adoram nesta foz,
Apetece-me castigar-te com sopros de breve açoite!...

A quem vou ler os poemas que escrevi no caminho?
As canções que compus ontem em miséria mental?
Aquém vou contar meu dia surreal e faminto?
Na ânsia de tudo sair certo no namoro de hoje?...

Se teu aspecto minguado é propositado e por despeito,
Perco-te o respeito,
E as Árias e Melodias endeusadas para ti no meu peito,
Jamais as tocarei nos acordes do meu pensar menina Lua…

Fica sabendo que conheço outras almas reconhecidas,
Ansiadas por cortesias,
De cantares, paixões e louvares meus;
Vou deixar recado aos mares que esta notícia espalhem por aí,
Que nos separámos e de ti me despedi!...

Carlos Reis
http://riscosescritos.blogs.sapo.pt/

Nenhum comentário: