Boneca de Pano


"Emília foi feita por tia Nastácia, com olhos de retrós preto e sobrancelhas tão lá em cima que é ver uma bruxa. Apesar disso Narizinho gosta muito dela; não almoça nem janta sem a ter ao lado, nem se deita sem primeiro acomodá-la numa redinha entre dois pés de cadeira”. (Apresentação da personagem no quarto parágrafo do livro Reinações de Narizinho).

Emília era muda até engolir uma pílula falante dada pelo doutor Caramujo. “Emília engoliu a pílula, muito bem engolida, e começou a falar no mesmo instante. A primeira coisa que disse foi: ‘Estou com um horrível gosto de sapo na boca!’ E falou, falou, falou mais de uma hora sem parar. Falou tanto que Narizinho, atordoada, disse ao doutor que era melhor fazê-la vomitar aquela pílula e engolir outra mais fraca”.

Que menina não teve sua boneca de pano? Alguns chamam boneca de trapos, boneca de retalhos. Seja qual for o nome que lhe derem, a minha chamava-se Filó.

Eu tinha muitas bonecas de "verdade"e não havia uma que eu não tivesse acrescentado algum detalhe à caneta ou melhorado o penteado com um corte de cabelo e depois uns bons tapas da minha mamy (no bumbum).

A Filó foi feita pela minha avó em 1965 qdo morei por um tempo em Portugal. Essa eu nunca estraguei, trazia sempre comigo e a apertava junto ao coração na hora de dormir.

A Emilia sempre me lembra a Filó, não sei o porquê.

A boneca e minha avó já não estão mais neste plano, mas as trago no coração onde todo sentimento é eterno e indivisivel...

Nenhum comentário: