Alceu Valença



Alceu Valença nasceu em São Bento do Una, Pernambuco. Na infância, ficava fascinado com os cantadores de feira. Aos 10 anos de idade, se transferiu com a família para o Recife, onde se forma em direito, em 1969. Em 1971, mudou para o Rio de Janeiro, acompanhado do grande amigo Geraldo Azevedo, onde participa de diversos festivais.

No ano seguinte lançou o lp "Alceu Valença e Geraldo Azevedo" apontando o surgimento de dois grandes nomes da mpb. Em 1974, protagonizou a noite do espantalho, filme dirigido pelo cantor e cineasta Sergio Ricardo rodado em nova jerusalém. No mesmo ano chega o primeiro disco-solo, gravado na som livre, batizado "molhado de suor".

A bordo do show "vou danado pra catende", percorre dezenas de cidades e as principais capitais brasileiras, resultando no disco "vivo". Em 1977, gravou o clássico "espelho cristalino", sacramentando a fusão do rock com os ritmos nordestinos. Em 1979, encara a primeira turnê internacional. Na década de 80, lançou "coração bobo", obtendo seu primeiro disco de ouro. Depois foi a vez de "cinco sentidos" e "cavalo de pau".

Em 1983, canta as belezas e segredos de Olinda no disco "anjo avesso" . No ano seguinte lançou o disco "mágico", um belíssimo trabalho gravado na Holanda. Em 1985, foi à vez de "estação da luz", resultado de uma apresentação no Festival de Varadero, em Cuba. Em 1986, coloca no mercado o disco "rubi"; no primeiro ano da década de 90, vivendo no Rio de Janeiro, grava o cd "andar, andar".

Participa da segunda edição do festival rock in rio em 91, num show aplaudidíssimo. Na seqüência tem o primeiro disco lançado simultaneamente nos mercados japonês, europeu e norte-americano, produzido por Arthur Linday, chamado "paixão". Em 1992 chegou com o álbum "frevos, maracatus e Olinda". Em 1994, lançou o cd "sete desejos".

Em 1996, se uniu aos amigos Geraldo Azevedo, Elba ramalha e Zé Ramalho, nos shows batizados "grande encontro" , transformados em cd registrados ao vivo. Depois veio o cd "sol e chuva", com releituras de vários sucessos e "forro de todos os tempos", homenageando alguns de seus maiores ídolos.

EM 2001, APOSTOU NO RITMO PÉ-DE-SERRA, AO GRAVAR O ÁLBUM “FORRÓ LUNAR”. NO ANO SEGUINTE, SAIU O CD “DE JANEIRO A JANEIRO”, LANÇADO POR SEU PRÓPRIO SELO, “TROPICANA”. ESSE TRABALHO LHE RENDEU O PRÊMIO TIM DE "MELHOR CANTOR REGIONAL". EM 2003, COMEMOROU 30 ANOS DE CARREIRA, COM "AO VIVO EM TODOS OS SENTIDOS", QUE SAIU EM CD E DVD. em 2005, FOI A VEZ DE “NA EMBOLADA DO TEMPO”, QUE TEM NO REPERTÓRIO CANÇÕES INÉDITAS, ABORDANDO A QUESTÃO DA PASSAGEM DO TEMPO.

Caricatura: Flávio Rossi
Site: http://www.uol.com.br/alceuvalenca

Ouvindo:

2

(Herbert Azul - Alceu Valença)





Nenhum comentário: