Na Ilha de Lia, No Barco de Rosa



Quando adormecia na ilha de Lia,meu Deus
eu só vivia a sonhar
Que passava ao largo no barco de Rosa e
queria aquela ilha abordar
Prá dormir com Lia que via que eu ia sonhar
dentro do barco de Rosa
Rosa que se ria e dizia nem coisa com coisa
Era uma armadilha de Lia com Rosa com Lia,
eu não podia escapar
Girava num barco num lago no centro da ilha
num moinho de mar
Era estar com Rosa nos braços de Lia,era Lia
com balanço de Rosa
Era tão real,era devaneio
Era meio a meio,meio Rosa,meio Lia,meio
Rosa,meio dia,meia-lua,meio Lia,meio
Era uma partilha de Rosa com Lia,com Rosa,
eu não podia esperar
Na feira do porto,meu corpo,minh'alma,meus
sonhos vinham negociar
Era poesia nos pratos de Rosa,era prosa na
balança de Lia

Era tão real,era devaneio
Era meio a meio,meio Lia,meio Rosa,meio
Lia,meia lua,meio dia,meio Rosa,meio
Na ilha de Lia,de Lia,de Lia
No barco de Rosa,de Rosa,de Rosa

Quando adormecia na ilha de Lia,meu Deus
eu só vivia a sonhar
Que passava ao largo no barco de Rosa e

queria aquela ilha abordar
Prá dormir com Lia que via que eu ia sonhar
dentro do barco de Rosa
Rosa que se ria e dizia nem coisa com coisa
Era uma armadilha de Lia com Rosa com Lia,
eu não podia escapar
Girava num barco num lago no centro da ilha
num moinho de mar
Era estar com Rosa nos braços de Lia,era Lia
com balanço de Rosa
Era tão real,era devaneio
Era meio a meio,meio Rosa,meio Lia,meio
Rosa,meio dia,meia-lua,meio Lia,meio
Era uma partilha de Rosa com Lia,com Rosa,
eu não podia esperar
Na feira do porto,meu corpo,minh'alma,meus
sonhos vinham negociar
Era poesia nos pratos de Rosa,era prosa na
balança de Lia

Era tão real,era devaneio
Era meio a meio,meio Lia,meio Rosa,meio
Lia,meia lua,meio dia,meio Rosa,meio
Na ilha de Lia,de Lia,de Lia
No barco de Rosa,de Rosa,de Rosa

Ouvindo:Na Ilha De Lia No Barco De Rosa
Foto: Raul Alexandre

2 comentários:

Anônimo disse...

O que é que tem sentido nesta vida
Não vai ser casa e comida
Cama fofa, cobertor
Não vai ser ficar mirando os astros
Ou então andar de rastros
Pelas sendas do Senhor

Para muitos é o dinheiro
Ir de Janeiro a Janeiro
De pé no acelerador
Eu, sinceramente, preferia
Uma vida de poesia
Na vigília de um amor

Há quem creia em ter status
Sair em Fotos&Fatos
Ter ações ao portador
Eu só acredito em liberdade
E estar sempre com saudade
De viver um grande amor

(Não sei quem escreveu, mas lembrei esta canção)

Anna Lee* disse...

Olá Anônimo!
Adorei ter Vinicius, que "viveu para ultrapassar e para desmentir, para se entregar totalmente e fugir" e seu Cancioneiro, poema de um poeta único, e o único que ousou viver sob o signo da paixão, terreno indomável de colheitas incertas e muitaas vezes ingratas. Bem, quero dizer, sem iniciar mais um de muitos testamentos que acabo tecendo, que a escolha de Cancioneiro para complementar O poema/música de outro poeta maior Chico Buarque de Holanda, foi... buá de buás de boa...Um chuá