Colcha de músicas


































Alguns compositores são lembrados por uma determinada composição de sua autoria que marcou época, e, apesar de terem em seu currículo musical composições de peso, será sempre “aquela música” o seu código genético.

Outros compositores serão lembrados pelo conjunto da obra e por conseguirem emplacar sucessos de público e critica em todas as épocas durante o processo criativo e produtivo de suas composições.

Não vamos esquecer de mencionar os interpretes que, apesar de não serem os “progenitores” de letras e músicas, são as vozes que dão alma as canções que interpretam. Alguns são insuperáveis e as marcas que deixam nas canções são como impressões digitais e acabamos por não dissociar a música de quem lhe emprestou a voz.

Com as bandas a coisa complica, e a melhor forma de explicar o porque de tanta complicação é exemplificar o que quero dizer.
As composições Lucy In The Sky With Diamonds de John Lennon, Beautiful Day de Bono Vox e the Edge, são sempre lembradas como músicas do Beatles e U2..
Em terras tupiniquins , Balada do Louco de Arnaldo Baptista e Rita Lee, e a Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda do Hyldon foram um dos maiores sucessos dos Mutantes e Kid Abelha.
E para quem não sabe, Hyldon tem “apenas” no currículo As Dores do Mundo e Amor Secreto entre outros sucessos que emplacaram e é considerado, ao lado de Tim e de Cassiano, um dos principais representantes da soul music brasileira.

Sem mais lengalenga e delongas, senão vai faltar assunto para mais tarde, o que vou tentar registrar aqui é a história dessas músicas e seus protagonistas que marcaram época , das músicas que marcaram as minhas “épocas”, e falar de música, música, música...

Bem, como preferência musical é algo muito pessoal não sei se conseguirei ser imparcial, mas vou tentar e até me esforçar para falar de músicas que não são “meu estilo” e nem fazem a minha cabeça, até porque, como diz o ditado: desta e daquela (isso eu inclui) água não beberei,- não sou eu que vou dizer que esta ou aquela música eu nunca vou cantarolar.

Afinal, o coração pulsa, pulsa e tem ritmos e acordes que até o bom senso desconhece quando a razão enlouquece....

Nenhum comentário: