25 de Portugal




1/2 Soneto da Revolução


De repente do pranto fez-se o riso

E das bocas unidas fez-se o canto
E das mãos espalmadas fez-se a história
De repente da calma fez-se a coragem
Que do passado tirou sua última mordaça
E da paixão fez-se coração
E do momento esperado

Fez-se a liberdade


De repente, porque já era tempo
Fez-se de feliz o que se fez livre ...


Emprestei uns versos de Vinicius de Moraes para comemorar o 25 de Abril, um momento histórico que pude acompanhar de perto sem medos e com muita alegria.

Uma lição de vida que só o povo que se compromete de corpo e alma com seu país é capaz de nos dar...

Um comentário:

Ricardo Reis disse...

Gostei...