Reciclar, Fluir e Tchammmmmm



A lata de refrigerante que você acabou de jogar fora pode virar matéria-prima na fabricação de uma bicicleta. E a garrafa do vinho de ontem pode se transformar em um frasco de perfume nas próximas semanas. Descubra aqui como isso é possível.

Há alguns anos, aderi à coleta seletiva de lixo. A iniciativa contou com a ajuda da familia já que todos concordaram em não mandar para o lixo materiais que poderiam ser reciclados ou reaproveitados já que trabalho com artesanato e muitas coisas acabavam virando cestos, tijelas, abajours e etc.

Na prática, funciona assim: em diferentes sacos, separo vidro, metal, plástico, papel e lixo orgânico. O que será encaminhado para a reciclagem é lavado antes de ser descartado. Quando os sacos estão cheios, o material é colocado nas latas específicas para esse uso, em pontos de coleta da Rede Pão de Açucar.

Uma cooperativa recolhe tudo e essa não é uma atitude isolada. Atualmente, existe um grupo crescente de pessoas que adere à coleta seletiva de lixo. Prova disso é que o Brasil possui índices nesse quesito que estão à frente de muitos países europeus e dos Estados Unidos.

Segundo o Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), uma associação sem fins lucrativos dedicada à promoção da reciclagem, somos um exemplo de reaproveitamento de muitos materiais. Reutilizamos 96,2% das latas de alumínio. Também lideramos a reciclagem de garrafas PET, com 47% de reúso. Esse número é superior ao da Alemanha e ao dos Estados Unidos.

Por que tudo isso? A ação de cada um pode, sim, fazer a diferença para diminuir o acúmulo de lixo nos aterros sanitários, reduzir a exploração do meio ambiente e muitos outros motivos que poderíamos citar. Mas existe uma razão, em especial, que não podemos esquecer.

Reciclar, que significa dar novo uso a algo que já “morreu”, faz parte do ciclo da natureza – de vida e morte –, para gerar uma nova vida. Quando acumulamos garrafas plásticas, latas e embalagens de vidro em um aterro, quebramos esse movimento natural e acumulamos lixo, no sentido literal da palavra. Aderir à reciclagem é, assim, fazer o ciclo da vida fluir.

BULA PARA RECICLAR

PLÁSTICO
Reciclável
• Embalagem de alimento
• Embalagem de produtos de beleza
• Embalagem de produtos de limpeza
• Tampas
• Peças plásticas
• Brinquedo

Não Reciclável
• Espuma
• Celofane
• Embalagem a vácuo
• Fralda descartável
• Adesivo

METAL
Reciclável
• Lata de bebidas e alimentos
• Panelas
• Ferragem
• Fios elétricos
• Chapas
• Embalagem de alumínio, cobre e aço.

Não Reciclável
• Lata de aerossóis
• Lata de tinta
• Pilha normal
• Pilha alcalina
• Lata de inseticida
• Lata de pesticida

FIQUE ATENTO: as pilhas falsificadas – vendidas a preços mais baixos, muitas vezes em bancas de rua – possuem maior quantidade de metais pesados do que as feitas por fabricantes conhecidos. Os metais pesados, quando descartados, causam a contaminação do solo e dos lençóis freáticos,

PAPEL
Reciclável
• Jornal
• Papel de impressora
• Saco de papel
• Papel de escritório
• Revista
• Impressos em geral
• Papelão
• Embalagem do tipo longa vida

Não Reciclável
• Papel engordurado
• Carbono
• Celofane
• Papel plastificado
• Papel parafinado (fax)
• Papel metalizado
• Papel laminado
• Papel toalha e higiênico
• Papel vegetal

VIDRO
Reciclável
• Copo
• Frasco de remédio
• Jarras
• Garrafa
• Vidro colorido

Não Reciclável
• Travessas feitas com vidro temperado
• Espelho
• Tubo de TV
• Lâmpada
• Óculos
• Cristal
ABRACADABRA

LATAS DE ALUMÍNIO

PASSO 1: as latas são coletadas por cooperativas em escolas, supermercados e condomínios.
PASSO 2: são prensadas e empacotadas por sucateiros para facilitar o transporte.
PASSO 3: seguem para a indústria de fundição.
PASSO 4: em fornos, com temperaturas acima de 660 ºC, as latas são derretidas.
PASSO 5: saindo do forno, o alumínio derretido é transformado em lingotes (barras ou tiras de metal fundido).
PASSO 6: os lingotes são revendidos aos fabricantes de lâminas de alumínio, que, por sua vez, revendem à indústria de alumínio.


NOVA UTILIDADE: latas novas ou acessórios de carros, bicicletas e todo tipo de objeto que use alumínio no processo de fabricação.


VIDRO

PASSO 1: é coletado e separado por cor (verde, marrom ou transparente).
PASSO 2: o que foi selecionado é submetido a um eletroímã para a retirada de qualquer tipo de metal, como resíduo de tampas.
PASSO 3: segue para um processo de lavagem em grandes tanques com água.
PASSO 4: vai para uma esteira ou mesa para a retirada de impurezas, como pedras, outros vidros, terra, plásticos.
PASSO 5: os objetos (garrafas, frascos) são colocados em um triturador, que transforma o vidro em cacos homogêneos. Esses cacos vão para uma esteira, que os leva a um segundo eletroímã, que retira qualquer metal que ainda tenha permanecido.
PASSO 6: por último, o material é armazenado e encaminhado à indústria vidraceira, que o submeterá a temperaturas entre 1000 e 1200 ºC e irá transformá-lo em novos artefatos de vidro.


NOVOS PRODUTOS: garrafas e frascos. Também é usado na indústria de fibra de vidro e serve de matéria-prima para objetos como pranchas de surfe.


PAPEL

PASSO 1: é separado do lixo comum e vendido a sucateiros, que o enviam a depósitos.
PASSO 2: o papel é prensado, colocado em fardos e repassado a profissionais chamados aparistas.
PASSO 3: os aparistas classificam as aparas e revendem à indústria papeleira como matéria-prima.
PASSO 4: na fábrica, o papel entra em um grande liquidificador, denominado Hidrapulper, que o desfaz e mistura água para que se forme uma pasta.
PASSO 5: são aplicados compostos químicos para tirar a tinta do papel e outras substâncias.
PASSO 6: a pasta é branqueada com compostos de cloro e encaminhada às máquinas de molde do papel.


NOVOS PRODUTOS: cadernos, revistas, jornais.

GARRAFAS DE PLÁSTICO

PASSO 1: as embalagens de plástico e PET são retiradas do lixo comum.
PASSO 2: são separadas por cor e prensadas. Isso facilita o destino final do produto para que seja mantida a uniformidade de cor.
PASSO 3: em grandes trituradores, as embalagens são moídas e transformadas em flocos.
PASSO 4: passam, então, por um processo de lavagem e descontaminação.
PASSO 5: os flocos são separados e armazenados para o transporte.
PASSO 6: é distribuído para diferentes indústrias – o polímero de PET é muito versátil e pode ser utilizado em diversos segmentos.


NOVOS PRODUTOS: tapetes, carpetes, vassouras, escovas, tecidos, forrações, cordas, filtros.
PLÁSTICO RÍGIDO (baldes, cabides e outros objetos)

PASSO 1: coletado do lixo, separado e embrulhado em fardos para o transporte.
PASSO 2: passa por um processo de moagem, lavagem e secagem.
PASSO 3: entra em um aparelho chamado aglutinador, que aquece o material e o transforma numa pasta.
PASSO 4: acrescenta-se água em pequenas quantidades para aumentar sua densidade.
PASSO 5: o material é transformado em tiras, como um espaguete. As tiras sofrem um banho de resfriamento para se solidificarem.
PASSO 6: elas são picotadas até virarem grãos (pellets) e revendidas à indústria plástica.


NOVOS PRODUTOS: baldes, conduítes, acessórios para automóveis, cabides.

PNEUS

PASSO 1: retirados e coletados do lixo e encaminhados à indústria de reciclagem.
PASSO 2: o pneu é cortado em lascas e limpo em um sistema de peneiras.
PASSO 3: as lascas são moídas e passam por um tratamento químico para a desvulcanização da borracha.
PASSO 4: o produto obtido da desvulcanização é refinado em grandes moinhos.
PASSO 5: obtêm-se uma manta de borracha ou grãos.
PASSO 6: são armazenados e enviados à indústria de borrachas.


NOVOS PRODUTOS: tapetes para automóveis, solados de sapato, adesivos, passadeiras.

Nenhum comentário: